Governo federal arrecadou quase R$ 230 bi com privatizações

O governo federal arrecadou R$ 227 bilhões com privatizações desde 2019, ano em que se iniciou a gestão do presidente Jair Bolsonaro. De acordo com o portal Poder360, a marca foi atingida com a venda de subsidiárias de estatais e de ações da União. Em 2019, foram levantados R$ 110,1 bilhões. Mais R$ 59,6 bilhões foram obtidos em 2020, enquanto R$ 57,6 bilhões neste ano.

Os recursos arrecadados com as chamadas privatizações “silenciosas”, que não dependem da aprovação do Congresso Nacional, são utilizados para reduzir a dívida pública, atualmente estimada em R$ 5,5 trilhões.

A maior delas é oriunda da venda da TAG, subsidiária da Petrobras que atua no segmento de transporte e armazenagem de gás natural: R$ 33,5 bilhões. A BR Distribuidora (R$ 21 bilhões), companhia do setor de distribuição e comercialização de combustíveis, e a Refinaria Landulpho Alves (R$ 8,8 bilhões) também fazem parte da lista de desestatização.

Além da venda direta de subsidiárias, outra estratégia da equipe econômica foi se desfazer de ações detidas pelo Banco do Brasil, pelo BNDESPar e pela CaixaPar. Esta última será concluída depois da alienação de todos os ativos (a remoção dos ativos dos registros contáveis das empresas).

A seguir, a lista dos dez maiores valores arrecadados:
1º — TAG (R$ 33,5 bilhões)

2º — Ações da Petrobras (R$ 31,5 bilhões)

3º — Ações da Vale (R$ 24,5 bilhões)

4º — BR Distribuidora (R$ 21 bilhões)

5º — Debêntures da Vale (R$ 11,1 bilhões)

6º — Campo de Tartaruga Verde (R$ 11,3 bilhões)

7º — Ações do IRB (R$ 9,9 bilhões)

8º — Refinaria Landulpho Alves (R$ 8,8 bilhões)

9º — Ações da Fibria (R$ 8,1 bilhões)

10º — Ações do Banco Pan (R$ 7,9 bilhões)

Créditos: Revista Oeste.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.