EXCLUSIVO: DENÚNCIA – Lava Jato protegeu Randolfe em caso de R$ 200 mil em propina da Odebrecht

Os jornalistas Oswaldo Eustáquio e Sandra Terena tiveram acesso com exclusividade a conversas de procuradores ligados à Lava Jato que protegeram o senador Randolfe Rodrigues e trabalharam para abafar o caso do recebimento de propina do ‘senador DPAVAT’ pela Odebrechet.

O pedido de proteção foi feito em um chat de procuradores pela então namorada do senador, Monique Checker, a mesma que tentou forjar provas para incriminar Bolsonaro e torná-lo inelegível em 2018. Aqueles que deveriam investigar os casos de corrupção e combater o sistema, se aliaram a ele, para proteger Randolfe, chamado por eles próprios de aliado e que mantinha um romance com a procuradora.

Neste trecho da conversa,  em um chat denominado BD, mantido pelos procuradores no Telegram, Monique lamenta a descoberta da PF da propina recebida pelo então namorado e tenta justificar.

  • 14:30:59 Monique Imagine quantos recados destes a PF não faz a festa com uma planilha dessas. Mais: lá no final da Planilha cita um tal de RandolfO (do AP) tendo recebido dinheiro em 2012. Quanto ao RandolfE, em 2012, não era candidato a nada, o Psol proibia receber dinheiro de PJ, e ele nunca esteve ou conhece alguém da Odebrecht.
  • 14:31:49 Monique Lava Jato, com essa exposição toda, virou moeda de troca da PF.

A proteção da Lava Jato à Randolfe não aconteceu apenas em função da relação amorosa entre Monique e o senador, mas também pelas ‘ajudinhas’ à Moro, Dellagnol e demais procuradores ligados à Operação.

  • 15:39:36 Helio MO, dê um toque no Randolfe sobre o tema que está sendo debatido agora na CCJ, com o Moro. Nós temos um PLS que vai no mesmo sentido (o do conceito de trânsito em julgado). PLS 238/2015. Está parado na CCJ, sem designação de relator.
  • 15:41:00 Monique Ele já está ciente. Ontem passei todo o material para ele. Expliquei e tudo. Mas vou reforçar!
  • 15:42:08 Vladimir A PGR terá NT, Mo
  • 3:02:20 Monique Rapaz nem consigo falar direito lá de tão tensa que esta a sessão 😰
  • 13:02:56 Robalinho Vitória do senador randolfe – com luxuosa assistência de monique rs – e do deputado subtenente Gonzaga que esta aqui desde cedo conversando com senador a senador e trouxe toda a a pm
  • 13:03:00 Monique 👏🏼👏🏼👏🏼👏🏼 Vamos dar o crédito ao Leoncio!!
  • 13:03:04 Monique 😂

Em outro trecho, Monique pede socorro ao grupo, classificando a situação da propina de Randolfe como absurda e acusa a Polícia Federal de perseguir o namorado.

  • 20:14:23 Monique Robalinho e demais, vou falar publicamente aqui pois a situação é meio absurda. Em jantar hoje, o Prefeito de Macapá (que é garoto de recados do Sup da PF no AP) passou mais um recado dos Deltas ao Randolfe: “avise que a ele que a PF dará um jeito de acha-li novamente na Lava Jato”. Não tem jeito uma situação dessas. Até quando conviveremos com esses bandidos?
  • 20:14:30 Robalinho Kkkkk
  • 20:20:18 Luiz Lessa Avisa a ele que o sup da,PF tá na lista da zelotes
  • 13:57:32 No caso do Randolfe, pelo que a Monique falou, ele não foi intimado de nada. Foi pego de surpresa já com a notícia de que o depoimento iria sair no JN, sem ter acesso ao depoimento. Ela me disse também que falou com um colega da PGR que disse que essas intimações ocorrem normalmente. No caso dele, não ocorreu.
  • 14:00:56 Angelo Precisa ver se procede mesmo. Agora, os créditos sem autorização, na verdade, formalmente tinham autorização legislativa; houve, digamos, uma interpretação excessivamente otimista dos pressupostos da autorização, que envolviam um juízo de prognose sobre o comportamento da economia e da arrecadação. Dolo, nesse caso, mesmo para Barbosa, é bem difícil de provar. Teria que achar alguma coisa nos e-mails, nos relatórios da Receita, do Tesouro, do MPOG, no zapzap, sei lá onde. Cunha se baseia em seus conhecimentos especiais – ele eh economista. Apesar de fazer sentido econômico a tese de que “gastou sem orçamento”, como o Robalinho sempre diz, o enquadramento jurídico dessa conduta não me parece tão fácil por causa do módulo de prova do dolo…
  • 14:04:25 Marcos Temos pouco aliados no Congresso. E nossos aliados sabem que nossas alianças não os tornam imunes aos processos de responsabilização. Dito isso, é importante não esquecermos dos momentos que, no calor da luta no Congresso, precisamos de um Randolfe para segurar a nossa posição. Aparentemente, Randolfe sofreu ataques injustos que poderiam ter sido evitados se o procedimento padrão de comunicação tivesse seguido o seu curso normal. É preciso ver o q ocorreu. Repito: quantos aliados temos no Congresso?

O grupo de procuradores ligados a Lava Jato se tornou de fato, uma força tarefa com a função de proteger o senador DPVAT pois até assessoria de imprensa para o ele, os procuradores fizeram.

  • 15:53:58 Alan Mansur PRPA http://anpr.org.br/noticia/4399
  • 15:54:44 Alan Mansur PRPA Nota à imprensa ANPR repudia tentativas de desqualificar atuação do MPF na Operação Lava Jato (Brasília 6/1/2015) – A Associação Nacional dos Procuradores da República vem a público repudiar toda e qualquer tentativa de desqualificar a atuação do Ministério Público Federal nas investigações referentes à denominada Operação Lava Jato. O trabalho sereno e técnico dos membros do MPF não pode ser distorcido pela divulgação parcial ou tendenciosa movida por objetivos por vezes pouco nobres. É notório que a sociedade possui direito à informação e que a liberdade de imprensa é um pilar da democracia, bem como a verdade. No entanto a veiculação de fatos desabonadores sem a devida informação, que usam o Ministério Público Federal para atingir pessoas públicas, presta um desserviço à população no intuito de prejudicar o trabalho dos procuradores da República. No que se refere a denúncias sobre senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e um suposto recebimento de dinheiro ilícito, já foi esclarecido pela Procuradoria Geral da República que as informações colhidas não são suficientes para indicar a autoria de crimes. Do mesmo modo, o ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, arquivou a petição que poderia gerar investigação contra o parlamentar por falta de elementos suficientes para comprovar as acusações. A ANPR reafirma sua inteira confiança de que os membros do MPF vêm buscando cumprir com as estritas responsabilidades da investidura, estabelecidas na Constituição Federal de 1988, à inteira revelia de conveniências políticas e exclusivamente ao serviço da sociedade. Humberto Jacques de Medeiros Subprocurador-geral da República Presidente em exercício da ANPR.
  • 15:59:24 Marcos Parabéns à ANPR, na pessoa de Humberto e Alan, e tb de Robalinho! Com a nota, ajudamos a conter os ataques injustos a Randolfe.
  • 16:03:52 Janice Muito bom!

Aqui, Monique Checker pede aos colegas informações privilegiadas sobre uma possível investigação sobre o senador.

  • 15:36:20 Marcos Car@s, Monique acaba de de mencionar que um repórter da Veja, de nome Guilherme Amado,entrou em contato com Randolfe sobre o arquivamento da PGR de uma notícia de que ele teria ameaçado alguém, quando defendia o MP. Randolfe não teve conhecimento desse arquivamento. Tal informe do jornalista procede?
  • 15:39:46 Wellington Ela mencionou isso onde, Marcos?
  • 15:43:04 Marcos Msg direta
  • 15:44:56 Wellington Estranho. Se ela quer essa informação, por que não a pedir diretamente a Pelella, p.ex.?
  • 15:48:20 Roberto amigos, algupem me passa o celular do Marcelo Miller, por favor?
  • 15:48:52 Wellington (21)99370-2440
  • 15:48:56 Marcos W, vc pode ajudar nisso?
  • 15:49:00 Roberto valeu !
  • 15:50:55 Wellington Não é minha área, Marcos, e nunca fiz essa intermediação. Arquivamentos promovidos pelo PGR costumam ser comunicados ao parlamentar interessado, pela SRI ou pela Chefia de Gabinete. Você pode pedir a Pelella ou a Peterson, mas continuo sem entender por que Monique não o faz
  • 15:51:20 Marcos Ela pediu a ajuda da BD
  • 15:51:40 Marcos Assim como já precisamos da ajuda célere de Randolfe

A reportagem obteve acesso também ao depoimento de xxx, que disse aos procuradores da Lava Jato que Randolfe recebeu propina. De acordo com o depoimento, Youssef disse:” Ceára, para esse aí já foram pagos R$ 200 mil”. O delator ficou surpreso e questionou o doleiro Youssef, tem certeza que é o Randolfe, aquele de oclinho, do PSOL? E Yossef respondeu: absoluta Ceará”.

Fontes afirmaram aos jornalistas que procuradores da Força-Tarefa da Lava Jato pediram para o doleiro Alberto Yossef justificar o injustificável e não confirmar o caso para proteger o aliado da operação. A Procuradora Ela Wiecko, ligada as causas LGBT, foi a relatora do caso e pediu o arquivamento, ignorando o fato no de que o nome de Randolfe aparecer em uma lista no mesmo ano em que o delator confirmou a propina. Ela Wiecko deixou o cargo de vice da PGR após ser flagrada fazendo campanha contra o presidente Temer junto com psolistas e petistas em Portugal e logo depois foi defendida pelo outro parceiro de vazamentos da Operação, o Blog o Antagonista.

  • 07:43:13 Livia Tinoco A queda de Ela Wiecko, braço direito de Rodrigo Janot, implode a PGR. Saiba por que na análise de @claudioedantas https://youtu.be/-MejTYUIQZY
  • 07:43:53 Livia Tinoco Vídeo difícil circulando. Ataca Ela e Janot
  • 07:52:25 Marcos Bom dia! Ainda estamos em ressaca!
  • 07:52:53 Marcos Pessoal, temos uma baita crise pra superar

Coincidência ou não, Ela Wiecko, que pediu o arquivamento do caso, ofereceu denúncia contra o então deputado Bolsonaro. No chat, os procuradores comemoram “Se o STF vai recebê-la ou não é problema do STF agora.

Veja o trecho em que o senador apresenta projetos da Lava Jato, que já tinha um projeto de poder, como se fosse dele próprio.

5:06:00 Helio W, sobre o rascunho do relatório da TI, pena que eles detectaram a ineficiência do sistema de persecução penal, mas não apresentam recomendações para abreviar o rito dos processos, diminuir os recursos e reformar as regras relacionadas à prescrição e nulidades. Seria bom que eles recomendassem a aprovação das propostas que a PGR/FT Lavajato formularam e encaminharam ao Senado (e os projetos de Lei que eu rascunhei e o Randolfe apresentou). Será que rola?

Diante dos fatos expostos, fica claro que a Operação Lava Jato nunca quis de fato combater o sistema e sim fazer parte dele. As candidaturas de Moro e Dallagnol revelam isso. Com base nestes fatos, seria de bom tom o procedimento de investigação do recebimento de propina da Odebrecht por Randolfe, ser reaberto e investigado sem a interferência e instrumentalização de parte dos procuradores da lava jato, para o protegê-lo.

POR: Oswaldo Eustáquio e Sandra Terena – jornalistas

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.