Doria diz que não vai permitir atos da esquerda dia 7 de Setembro para evitar conflitos com “bolsonaristas”

O governador de São Paulo, João Doria(PSDB), disse nesta quinta-feira, 26, que a Secretaria de Segurança Pública vetou a realização de protestos contra o presidente Jair Bolsonaro em 7 de setembro. A determinação valeria tanto para a capital quanto para outras cidades paulistas, e o secretário de Segurança Pública em exercício, coronel Alvaro Batista Camilo, disse que deve chamar os coordenadores da campanha contra o presidente para um diálogo sobre os atos.

A coordenação da campanha nacional Fora Bolsonaro afirma que manterá o protesto no Vale do Anhangabaú, e que a mudança de data não está em discussão. Em uma entrevista coletiva marcada por críticas a Doria, representantes de movimentos de esquerda ressaltaram que a realização de seu ato é uma questão de garantia constitucional. Na organização dos protestos há o receio de que a Polícia Militar não garanta a segurança do ato contra o presidente, e de que os manifestantes fiquem expostos à violência em eventuais confrontos com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

“Houve a negativa da Secretaria de Segurança Pública à utilização do Vale do Anhangabaú, ou do Largo da Batata ou de qualquer outra área não só na capital, mas no Estado de São Paulo, para manifestações desta ordem (de oposição ao governo federal) no dia 7”, disse Doria em entrevista coletiva nesta quinta. “Não há conveniência de que grupos antagonistas se manifestem no mesmo dia, ainda que em locais diferentes. Isso põe em risco a segurança dos manifestantes, e obviamente divide o esforço de segurança pública do Estado de São Paulo.”

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.