Cristãos Nobres – Martin Luther King

“Mas o homem nobre faz planos nobres, e graças aos seus feitos nobres permanece firme.” Isaías‬ ‭32:8‬
Quantos homens nobres há na terra? Quantos homens valentes em fé e em caráter? Quantos homens lutam pela causa dos outros sem visarem lucro, vantagens ou até mesmo reconhecimento? Quantos homens lutam com os olhos no futuro, onde talvez jamais serão sequer citados? Quantos?
Inicio com este texto uma série sobre cristãos nobres. Vamos ver por aqui nomes conhecidos e anônimos de homens e mulheres que marcaram vidas através da nobreza de seu coração. Nomes que marcaram a história e nos inspiram porque entenderam seu propósito de vida e o perseguiram até o fim. O primeiro homem valente foi um pastor batista, ativista dos direitos civis através da prática da não violência, Martin Luther King.
King foi assasinado em 1968, deixou família, quatro filhos e igreja, mas sua história jamais se calou, sua luta foi seu legado e seu emblemático discurso “eu tenho um sonho” ecoa até nossos dias.
Em um momento da história onde brancos e negros não podiam estar próximos, onde havia separação de assentos em ônibus e teatros, escolas para negros e para brancos separadamente, este homem se levantou para que o seu sonho de igualdade e respeito aos direitos civis dos negros prevalecessem.
Os EUA assistiu ao final da escravidão em meados do século XlX, porém o racismo ainda existia no conceito “iguais mas separados”. Martin empunhou a bandeira sobre os direitos civis dos negros, orquestrou um movimento de boicote ao transporte urbano de mais de dez meses, implantou um método de protestos criativos sem violência que usava justamente da violência do outro contra ele mesmo. Todos os seus esforços renderam frutos e mudanças na sociedade, entre elas, a garantia do voto em todas as esferas, escolas mistas, transporte urbano sem assentos separados e uma reação em cadeia em todos Estados Unidos da América. Martin entretanto passou por momentos de angustia e medo. Na primeira vez que esteve preso percebeu o tipo de guerra que estava entrando e ficou depressivo, temendo pela sua vida e por sua família, quis desistir e se isolar, mas ouviu a voz de Deus dizendo “levante-se Martin, lute pelos seus direitos, eu estarei com você”
Martin Luther King ouviu o chamado, entendeu seu lugar e papel naquele tempo e prosseguiu. Sua causa era nobre, e sua força vinha de Deus. Em 1968 Martin foi assassinado, tentaram cala a voz da justiça e da igualdade daquele tempo, mas a verdade é que nada nem ninguém calou este homem de Deus que cumpriu seu propósito até o fim. Martin era filho e neto também de pastor, viveu para cumprir sua missão e o resultado é que sua história hoje é um legado e sua voz ainda ecoa, “I have a dream” (Eu tenho um sonho). Seu nome permanece firme na história através de seus feitos nobres.
O mundo precisa constantemente de homens e mulheres nobres que projetem coisas nobres para a eternidade. Semana que vem falarei sobre Susanna Wesley, considerada mãe do Metodismo.

POR:
Colunista
Vanessa Triffoni Minelli
Pastora, Autora de livros, Lider da Universidade da Família (diversos cursos),
Esposa e Mãe de quatro filhas.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.