Censura: Twitter Bane Donald Trump, Mas Mantém Perfis Ligados Ao Talibã

Plataforma não se manifestou sobre uso da rede por grupo terrorista

O Twitter se tornou alvo de críticas, nesta semana, por manter no ar páginas ligadas ao Talibã (grupo terrorista que está dominando o Afeganistão mediante violência e medo), enquanto optou por banir em definitivo o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, que defendeu manifestações políticas que culminaram na invasão ao Capitólio.

De acordo com a plataforma, as mensagens de Trump que inflamaram seus apoiadores e a defesa de pautas conservadoras violavam as políticas da plataforma. No entanto, nenhuma atitude foi tomada quanto aos perfis ligados ao Talibã, alguns com centenas de milhares de seguidores, que continuam usando o Twitter para disseminar ideais radicais e atualizar sobre o avanço do grupo no Afeganistão.

Questionada pela agência de notícias Reuters sobre quais medidas adotaria contra uso da rede social pelo grupo terrorista, o Twitter se limitou a dizer que a plataforma não tolera discursos de ódio e não comentou sobre qualquer tipo de punição ou censura aos perfis do Talibã.

Por outro lado, o Facebook anunciou na segunda-feira (16) que considera o Talibã um grupo terrorista e que suspendeu perfis vinculados a ele. Mesmo assim, membros da organização ainda estariam usando o WhatsApp (que pertence ao Facebook) para se comunicar com afegãos. Sobre isso, o Facebook afirmou que está acompanhando a situação de perto e que em breve tomará medidas na plataforma.

CONTRAFATOS

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.