Bolsonaro diz esperar reunião de aproximação entre Brasil e EUA

Presidente tem reunião bilateral com norte-americano Joe Biden agendada para a noite desta quinta-feira, em Los Angeles

O presidente Jair Bolsonaro viajou na noite da quarta-feira 8 para Los Angeles, nos EUA, onde vai participar da Cúpula das Américas junto a outros chefes de Estado. Nesta quinta-feira, o mandatário brasileiro tem marcada uma reunião bilateral com o norte-americano Joe Biden, paralela ao evento.

O encontro presencial entre Bolsonaro e Biden está previsto para ocorrer no começo da noite desta quinta-feira, pelo horário de Brasília. A expectativa do presidente brasileiro é que a reunião marque um momento de aproximação entre as duas administrações.

“Eu espero da reunião uma reaproximação dos Estados Unidos com o Brasil. Que a gente possa se aproximar mais. Nunca tivemos problema com os Estados Unidos. O Brasil está aberto para conversar e ter relação com qualquer país”, afirmou Bolsonaro à CNN.

Depois da sinergia com Donald Trump, Bolsonaro tem mantido uma relação distante com Biden desde a eleição do norte-americano, em 2020, quando derrotou seu antecessor. A agenda em Los Angeles marca o primeiro encontro entre os dois chefes de Estado.

Segundo Bolsonaro, o encontro desta quinta-feira terá ambientalismo na pauta, em momento em que Biden tem sido cobrado por grupos ativistas locais a pressionar o Brasil sobre a situação da Amazônia. O presidente brasileiro também disse que vai tratar de assuntos sigilosos na reunião.

“Vamos conversar sobre vários temas, inclusive sobre fontes renováveis, energia de transição, hidrogênio verde. Mas também irei conversar coisa reservada com ele (Biden).”

Sobre a Cúpula das Américas

O objetivo da Cúpula das Américas é reunir os líderes do continente para discutir o fortalecimento da democracia na região. O governo dos EUA organiza a edição deste ano e não convidou a Nicarágua, a Venezuela nem Cuba, regimes com características autoritárias da região. Em reação, alguns países decidiram não participar do evento, como o México.

Bolsonaro decidiu participar do encontro depois de receber no Palácio do Planalto o enviado especial para a Cúpula das Américas do governo norte-americano, Christopher Dodd, e o encarregado de negócios da Embaixada dos EUA no Brasil, Douglas Koneff.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.